O Desafio de Escolher Corretamente

As decisões fazem parte da vida. Todos os dias tomamos decisões. Algumas delas são tomadas de uma forma rotineira. Outras, no entanto, exigem mais uma reflexão, uma análise mais profunda. As decisões que julgamos como importantes, tomamos com mais cuidado. Como você sabe se uma coisa é importante ou não?

Quando Deus criou o homem, deu-lhe o direito de fazer escolhas. Este direito — ou melhor, responsabilidade — não pode ser ignorado. As consequências de nossas escolhas também não podem ser ignoradas, pois os efeitos de muitas delas se sentirão na eternidade.

Vejamos algumas das escolhas feitas por personagens bíblicos. Alguns souberam escolher e outros não. Moisés, o homem de Deus, escolheu “antes ser maltratado com o povo de Deus do que, por algum tempo, ter o gozo do pecado” (Hebreus 11:25). Ele estava pensando na recompensa que receberia depois desta vida. Escolher ficar junto com o povo de Deus é uma decisão das mais sábias.

Antes do dilúvio “viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas, e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram” (Gênesis 6:2). Eram escolhas carnais que culminaram em sua destruição.

“Então Ló escolheu para si toda a campina do Jordão…e armou as suas tendas até Sodoma” (Gênesis 13:11-12). As terras eram férteis e deu para ganhar muito dinheiro, mas perdeu tudo que possuía na destruição de Sodoma.

José, enquanto rapaz, escolheu uma vida de honestidade e pureza. Isto lhe trouxe grandes honras no reino egípcio (leia Gênesis 41:41).

Josué, o servo de Deus, desafiou os israelitas: “Escolhei hoje a quem sirvais” (Josué 24:15), e logo em seguida acrescentou: “Porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor.” O povo respondeu: “Nós também serviremos ao Senhor.” Enquanto temeram ao Senhor e o serviram fielmente, suas vidas prosperaram.

No tempo do profeta Elias, o povo esqueceu-se dos milagres que o Senhor operara em seu meio. Muitos abandonaram o Deus verdadeiro para seguir ao ídolo Baal, o que desagradou muito ao Senhor. Para solucionar este problema, Deus utilizou o profeta Elias para fazer uma demonstração espetacular de seu grande poder. No monte Carmelo, Elias clamou a Deus e fogo desceu do céu, consumindo o holocausto que preparara, assim provando que o Deus dele era o Deus verdadeiro. Ele perguntou ao povo: “Até quando [continuareis] entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-o; mas se Baal, segui-o.” Depois do fogo cair do céu, o povo prostrou-se e exclamou: “O Senhor é Deus! O Senhor é Deus!” Leia 1 Reis capítulo 18.

Daniel, um rapaz cativo na terra da Babilônia, resolveu “no coração não se contaminar com a porção do manjar do rei, nem com o vinho que ele bebia” (Daniel 1:8). Esta nobre escolha conseguiu para Daniel e seus três amigos — que  fizeram a mesma escolha — o favor de Deus e do rei. Se não tivessem escolhido assim, mais adiante na Bíblia não teríamos as histórias de Daniel na cova dos leões e dos três companheiros de Daniel que foram lançados no forno de fogo ardente.

Jesus contou a parábola do pai que teve dois filhos. Um deles resolveu ficar com sua herança antes da morte do pai e viajar para um país distante (que representa entrar no pecado). Não foi uma escolha feliz. Depois de gastar tudo, caiu em si, reconheceu seu erro, e resolveu humilhar-se e voltar à casa de seu pai. Quão feliz não deve ter sido aquele encontro entre pai e filho! Leia Lucas 15:11-32.

O nosso Senhor Jesus foi preso e levado perante Pilatos. “Se soltares a este, não és amigo de César” (João 19:12). Pilatos estava numa situação difícil. De um lado via César (que representa o mundo) e do outro lado o Senhor da glória. Ele escolheu — e entregou Jesus aos soldados para ser crucificado. Leia João capítulo 19.

Escolher o mundo e seus prazeres leva a pessoa à ruína eterna (leia 2 Pedro 3:10-11).

Escolher fazer parte do povo de Deus ao invés de levar uma vida mundana, é uma boa escolha, uma escolha sábia. Quando escolhemos Cristo como nosso melhor Amigo, ele nos manda um Conselheiro — o Espírito Santo — que nos ajuda a tomar decisões nesta vida.

Prezado leitor, você já escolheu seguir a Jesus? Você o ama mais do que qualquer outra pessoa neste mundo? Já resolveu andar no caminho dele? Já confessou e abandonou seus pecados? Já entregou sua vida a ele? Você prefere o Livro dele acima de qualquer outro livro? É o Livro que você mais lê? Você tem um lugar especial em sua casa, ou qualquer outro lugar, onde medita e mantém comunhão com seu Senhor? Se você entregou sua vida ao Senhor e se ele entrou em seu coração, sua vida é das mais felizes. É um antegosto do céu. Se escolher bem todos os dias, estará no caminho que leva ao gozo eterno.