Deus Perdoou Os Seus Pecados?

Você foi perdoado?

Seu destino eterno depende da resposta sincera que você dá a esta pergunta. Em Romanos 3:10 a Bíblia nos diz que “não há um justo, nem um sequer”, e no verso 23 lemos que “todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”. Se quisermos nos livrar das consequências terríveis do pecado, é preciso que Deus perdoe os nossos pecados, pois no dia do juízo seremos julgados. “Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal” (2 Coríntios 5:10).

Todos nós estamos diante de uma eternidade sem fim. Por isso é de suma importância saber se os nossos pecados estão perdoados. Para entrarmos no céu, nossos pecados terão que ser perdoados. Caso contrário, seremos condenados a passar a eternidade no inferno com o diabo e seus anjos. “E quando o Filho do homem vier em sua glória, e todos os santos anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória; E todas as nações serão reunidas diante dele, e apartará uns dos outros, como o pastor aparta dos bodes as ovelhas; E porá as ovelhas à sua direita, mas os bodes à esquerda. Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo... Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos” (Mateus 25:31-34, 41).

O perdão vem através do sangue de Cristo

Em vista de tudo isso, o que podemos fazer para salvar a nossa alma? Na realidade, não podemos salvar a nós mesmos; o que podemos fazer é aceitar o plano que Deus tem para nós. Para compreendermos melhor este plano, precisamos compreender como Deus agia com seu povo no tempo do Antigo Testamento. Deus mandou que sacrificassem certos animais, entre eles cordeiros, que simbolizavam Jesus Cristo, que é o Cordeiro perfeito de Deus, o qual iria mais tarde remir o povo de seus pecados ao derramar seu próprio sangue. O derramamento de sangue, que resultava na morte do animal, ajudava as pessoas a compreenderem melhor a seriedade do pecado. Em Efésios 1:7 lemos: “Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça”.

“Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado” (1 Pedro 1:18-19). Nosso perdão vem através da morte de Cristo, que derramou seu sangue pelos pecados do homem (leia Hebreus 9:22).

Devemos compreender que por causa dos nossos pecados, somos dignos da morte eterna. Mas por causa de seu grande amor e misericórdia, Jesus assumiu a nossa culpa e morreu em nosso lugar para que possamos ser perdoados e ficar livres das nossas transgressões.

Quem não perdoa se escraviza

Junto com o perdão, Cristo nos dá a sua paz. Para não perdermos esta paz, temos que perdoar ao nosso próximo. Em Mateus 6:14-15, Cristo nos diz: “Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas”.

Jesus fala claramente sobre os perigos de não perdoar:

Por isso o reino dos céus pode comparar-se a um certo rei que quis fazer contas com os seus servos; e, começando a fazer contas, foi-lhe apresentado um que lhe devia dez mil talentos; e, não tendo ele com que pagar, o seu senhor mandou que ele, e sua mulher e seus filhos fossem vendidos, com tudo quanto tinha, para que a dívida se lhe pagasse. Então aquele servo, prostrando-se, o reverenciava, dizendo: Senhor, sê generoso para comigo, e tudo te pagarei.

 Então o senhor daquele servo, movido de íntima compaixão, soltou-o e perdoou-lhe a dívida.  Saindo, porém, aquele servo, encontrou um dos seus conservos, que lhe devia cem dinheiros, e, lançando mão dele, sufocava-o, dizendo: Paga-me o que me deves.

 Então o seu companheiro, prostrando-se a seus pés, rogava-lhe, dizendo: Sê generoso para comigo, e tudo te pagarei.

 Ele, porém, não quis, antes foi encerrá-lo na prisão, até que pagasse a dívida. Vendo, pois, os seus conservos o que acontecia, contristaram-se muito, e foram declarar ao seu senhor tudo o que se passara.

 Então o seu senhor, chamando-o à sua presença, disse-lhe: Servo malvado, perdoei-te toda aquela dívida, porque me suplicaste. Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti?

 E, indignado, o seu senhor o entregou aos atormentadores, até que pagasse tudo o que devia.  Assim vos fará, também, meu Pai celestial, se do coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas. —Mateus 18:23-35

Odiar alguém, não perdoar ou guardar uma mágoa, cria uma série de problemas. Para as pessoas que guardam estes sentimentos negativos, a vida perde o gosto e torna-se amarga. As amizades, bem como a própria saúde, são prejudicadas.

Quando não perdoamos àlguém, a nossa alma é escravizada. Muitas vezes o não perdoar resulta numa escravidão, uma amargura, que corrói a nossa alma. É uma prisão cheia de tristeza, ira e contendas; uma prisão na qual não entram alegria, amor e amizade. Esta amargura é a consequência de um espírito egoísta que procura sempre “dar o troco” depois de se sentir injustiçado. Se deixarmos que estas mágoas nos dominem, acabaremos escravizados pelo pecado e afastados de Deus.

Perdoando do fundo do coração

Jesus nos ensina que precisamos perdoar assim como ele nos perdoou. Não podemos condicionar o nosso perdão à gravidade da ofensa, à quantidade de vezes que fomos ofendidos ou às intenções de quem nos ofendeu. Devemos demonstrar misericórdia incondicional, da mesma maneira que Deus se mostrou misericordioso para conosco. Quando nós nos humilhamos e perdoamos ao nosso próximo, Deus abre a porta pela qual precisamos passar para recebermos o perdão pelos nossos próprios pecados e falhas. Deus perdoa de todo coração àqueles que chegam a ele com um coração humilde e penitente.

 Se seguirmos o Espírito Santo, conheceremos a verdade e a verdade nos libertará (leia João 8:32). No verso 36 lemos: “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”.

“Hoje, se ouvirdes a sua voz, Não endureçais os vossos corações, como na provocação” (Hebreus 3:15). Em Mateus 11:28, Jesus diz: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”. Se seguirmos estes ensinamentos, seremos perdoados e conseguiremos perdoar aos outros.

Chegando a Deus

Agora vem a pergunta: Como chegaremos a Deus? A Bíblia tem a resposta: “Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou o não trouxer” (João 6:44). Através de seu Espírito Santo, Deus nos mostra que somos pecadores e que precisamos de um Salvador. Não é sempre que entendemos quando Deus nos chama. Pode ser que de início sentimos uma solidão, um vazio em nosso coração; sentimos que alguma coisa está faltando ou que estamos perdidos.

Ao sentirmos que o nosso espírito está inquieto, precisamos abrir o coração para Deus e pedir a sua direção. Os nossos pecados começarão a pesar no coração e provocarão em nós uma grande tristeza. Quando isto acontece, podemos ter a certeza de que Deus está pedindo que entreguemos a nossa vida a ele em verdadeiro arrependimento. Ao ver que o coração está contrito e quebrantado, e que o nosso desejo é fazer toda a sua vontade, ele perdoa o nosso passado pecaminoso e no lugar do peso que sentíamos antes, recebemos paz e perdão (leia Salmo 34:18; Salmo 51:16-17). Como o nosso coração se alegra quando isso acontece! Sentimos vontade de contar aos outros o que Cristo fez em nosso coração.

Isto não é apenas uma manobra intelectual ou mental; é a obra do Espírito Santo no coração que produz uma vida nova. Ele nos dá força para ter fé e confiar em Deus para podermos vencer os nossos próprios desejos errados e perdoar aos outros. 2 Coríntios 5:17 diz: “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”.

O perdão que a Bíblia ensina é uma coisa linda. Ter fé no sacrifício de Jesus, junto com uma entrega total a Deus e à sua vontade, tira toda a mancha do pecado do nosso coração. Nossos pecados são completamente cobertos pelo sangue derramado de Jesus Cristo. O perdão de Deus nos livra de todas as nossas ofensas e mágoas. Ele purifica a nossa vida e não se lembra mais de nossas transgressões. “E de seus pecados e de suas prevaricações não me lembrarei mais” (Hebreus 8:12). Como é maravilhosa a liberdade que sentimos depois que Deus perdoa os nossos pecados e nós perdoamos ao próximo. Você pode experimentar isso em sua vida.

Venha ao Senhor hoje!