É Possível Parar de Fumar?

A procura pela felicidade tem levado o homem a muitos lugares indesejáveis. Podemos citar as riquezas, a popularidade, o cigarro e a bebida, que o tem deixado decepcionado e com um grande vazio interior. João 4:1-30 fala deste vazio ao contar a história do encontro de Jesus com a mulher samaritana que estava tirando água do poço. Ele lhe ofereceu água que saciaria a sede da sua alma. A água do poço poderia saciar sua sede natural, mas Jesus acabou com a sede de sua alma.

Muitas pessoas nem reconhecem que esta sede existe em suas vidas. Por mais que procurem esconder ou ignorar esta necessidade, ela não desaparece. É por isso que Deus enviou Jesus a este mundo para libertar o homem das tentações e dos pecados deste mundo. Ele oferece esperança para os cativos do pecado; oferece libertação de todas as coisas que prendem o coração e a mente.

Por que as pessoas fumam?

Por que há tantas pessoas que fumam? É porque o cigarro realmente satisfaz? Talvez seja porque os amigos fumam e os pressionam a fumarem também. Podem achar que se fumarem, terão uma aceitação social melhor. Ou pode ser um simples sentimento de insegurança e a ideia errada de que fumar as tornará mais seguras. Todos os fumantes devem analisar esta questão para descobrirem por que fumam.

A insegurança muitas vezes faz com que as pessoas se envolvam em atividades que tiram sua atenção das coisas realmente importantes da vida. Podem ser hábitos que transmitam uma imagem de ter tudo sob controle. Pessoas nervosas frequentemente sentem a necessidade de ter alguma coisa nas mãos para acalmar seus nervos. Algumas tornam-se dependentes do cigarro, mas o alívio que sentem não é permanente; apenas enquanto estão fumando.

Texto completo de: É Possível Parar de Fumar?

Muitos jovens são induzidos a experimentar o cigarro. Seus amigos lhes oferecem um cigarro. Os outdoors e as propagandas em jornais e revistas mostram homens e mulheres bonitos e atléticos com um cigarro na mão, dando a entender que isso é vida. Outros simplesmente imitam seus pais, que são fumantes. No início acreditam que é uma coisa social, que podem parar na hora que quiserem. Mas, quando realmente resolvem parar, descobrem que são viciados no cigarro.

Fumar é pecado?

Fumar é apenas um hábito indesejável, ou é pecado? A Bíblia diz em algum lugar que é pecado? São perguntas que ouvimos frequentemente e por isso devem ser respondidas. Não, a Bíblia em lugar algum fala sobre o vício de fumar. No entanto, dá direção clara e princípios básicos que podem responder a esta pergunta.

A Bíblia ensina claramente que os nossos corpos não são nossos, mas que devem ser o templo de Deus e do seu Espírito Santo. 1 Coríntios 3:16-17 deixa claro que prejudicar ou contaminar o nosso próprio corpo é pecado: “Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo”. É um fato científico que o cigarro enfraquece o organismo e pode levar à morte, assim destruindo o corpo que devia trazer honra a Deus e ser útil em suas mãos. “Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?” (1 Coríntios 6:19).

Deus roga a todos os homens que se abstenham dos desejos carnais que os tornam insensíveis às coisas espirituais. “Amados, peço-vos...que vos abstenhais das concupiscências carnais que combatem contra a alma” (1 Pedro 2:11). A insensibilidade às coisas espirituais, bem como o desejo carnal que estimula este hábito, mostram que é um dos hábitos “que combatem contra a alma”. Fumar é uma tentativa de satisfazer a natureza carnal. A Bíblia diz: “Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito” (Romanos 8:5).

Deus quer que seus servos tenham vidas puras; que não se contaminem com os pecados de uma sociedade incrédula que os cerca. Aceitar a Cristo e andar em seu caminho, levando a sua cruz, fará com que as pessoas vivam de uma forma diferente das que não são cristãs. O apóstolo Paulo escreveu: “Mas longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo” (Gálatas 6:14). É possível afirmar que fumar seja um hábito saudável, puro e inofensivo, que não prejudica ninguém? Fumar enquadra bem na vida de uma pessoa que se afastou da vida de pecado e leva a cruz de Cristo? Queira ou não, o fumante será identificado com aqueles que andam no caminho largo do pecado e do prazer, e não como quem está servindo a Deus.

Jogando dinheiro fora

O dinheiro gasto com cigarro muitas vezes faz com que filhos e esposa passem necessidade: falta de comida, de roupa, e até de abrigo. O uso egoísta do dinheiro está provocando muito sofrimento e transtornos no mundo de hoje. Somas enormes de dinheiro estão sendo gastos anualmente na compra de cigarros numa tentativa de encontrar felicidade onde não há felicidade. O Senhor pergunta: “Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? E o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer? Ouvi-me atentamente, e comei o que é bom, e a vossa alma se deleite com a gordura” (Isaías 55:2).

O poder de Deus liberta

Deus o ama e quer que você chegue a ele do jeito que você está. Ele é poderoso e capaz de libertá-lo. É verdade que o cigarro vicia e domina a pessoa, mas o Deus Todo-poderoso tem poder para resolver o seu problema. “Quem é Deus semelhante a ti, que perdoa a iniquidade, e que passa por cima da rebelião do restante da sua herança? Ele não retém a sua ira para sempre, porque tem prazer na sua benignidade. Tornará a apiedar-se de nós; sujeitará as nossas iniquidades, e tu lançarás todos os seus pecados nas profundezas do mar” (Miqueias 7:18-19).

Se você é fumante, é possível que lhe venha à mente algumas perguntas: O que meus amigos vão pensar se eu parar de fumar? E se eu tentar e não conseguir, o que eles vão pensar? Na realidade, é bem possível que você já tentou parar de fumar várias vezes, mas não conseguiu. O desejo é tão forte e o único alívio é fumar outro cigarro, e depois outro... Você pergunta: Quem pode me ajudar? Deus sabe o que eu estou passando?

Deus vê seu coração. Ele não apenas conhece seus vícios e problemas, mas vê como você está preso por Satanás. Possivelmente foi seu próprio orgulho e desejo de ser aceito por seus amigos que provocaram tudo isso. Mas há esperança! Jesus morreu na cruz para libertar todos os cativos das garras cruéis do inimigo. Aqueles que reconhecem que estão presos e desejam ser libertados podem levar todos os seus pecados ao pé da cruz e encontrar libertação. Em Romanos 6:5-6 lemos: “Porque, se fomos plantados juntamente com ele na semelhança da sua morte, também o seremos na da sua ressurreição; sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado”.

Deus nos criou à sua imagem e quer que o glorifiquemos com as nossas vidas. Em 1 Coríntios 6:20 lemos: “Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus”. São exatamente aquelas coisas que não glorificam a Deus que nos deixam tão vazios. Numa tentativa de preencher este vazio e encontrar a verdadeira felicidade, fumamos outro cigarro, e outro, e outro... Mas não funciona. Aquele vazio permanece.

Prezado leitor, você que até agora não conseguiu parar de fumar, há esperança. O amor e a compaixão de Deus são tão grandes que se você permitir, o Senhor o libertará deste vício tão terrível e lhe dará uma vida nova em Cristo Jesus. “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” (2 Coríntios 5:17).

O Desafio de Escolher Corretamente

As decisões fazem parte da vida. Todos os dias tomamos decisões. Algumas delas são tomadas de uma forma rotineira. Outras, no entanto, exigem mais uma reflexão, uma análise mais profunda. As decisões que julgamos como importantes, tomamos com mais cuidado. Como você sabe se uma coisa é importante ou não?

Quando Deus criou o homem, deu-lhe o direito de fazer escolhas. Este direito — ou melhor, responsabilidade — não pode ser ignorado. As consequências de nossas escolhas também não podem ser ignoradas, pois os efeitos de muitas delas se sentirão na eternidade.

Vejamos algumas das escolhas feitas por personagens bíblicos. Alguns souberam escolher e outros não. Moisés, o homem de Deus, escolheu “antes ser maltratado com o povo de Deus do que, por algum tempo, ter o gozo do pecado” (Hebreus 11:25). Ele estava pensando na recompensa que receberia depois desta vida. Escolher ficar junto com o povo de Deus é uma decisão das mais sábias.

Antes do dilúvio “viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas, e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram” (Gênesis 6:2). Eram escolhas carnais que culminaram em sua destruição.

“Então Ló escolheu para si toda a campina do Jordão…e armou as suas tendas até Sodoma” (Gênesis 13:11-12). As terras eram férteis e deu para ganhar muito dinheiro, mas perdeu tudo que possuía na destruição de Sodoma.

Texto completo de: O Desafio de Escolher Corretamente

José, enquanto rapaz, escolheu uma vida de honestidade e pureza. Isto lhe trouxe grandes honras no reino egípcio (leia Gênesis 41:41).

Josué, o servo de Deus, desafiou os israelitas: “Escolhei hoje a quem sirvais” (Josué 24:15), e logo em seguida acrescentou: “Porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor.” O povo respondeu: “Nós também serviremos ao Senhor.” Enquanto temeram ao Senhor e o serviram fielmente, suas vidas prosperaram.

No tempo do profeta Elias, o povo esqueceu-se dos milagres que o Senhor operara em seu meio. Muitos abandonaram o Deus verdadeiro para seguir ao ídolo Baal, o que desagradou muito ao Senhor. Para solucionar este problema, Deus utilizou o profeta Elias para fazer uma demonstração espetacular de seu grande poder. No monte Carmelo, Elias clamou a Deus e fogo desceu do céu, consumindo o holocausto que preparara, assim provando que o Deus dele era o Deus verdadeiro. Ele perguntou ao povo: “Até quando [continuareis] entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-o; mas se Baal, segui-o.” Depois do fogo cair do céu, o povo prostrou-se e exclamou: “O Senhor é Deus! O Senhor é Deus!” Leia 1 Reis capítulo 18.

Daniel, um rapaz cativo na terra da Babilônia, resolveu “no coração não se contaminar com a porção do manjar do rei, nem com o vinho que ele bebia” (Daniel 1:8). Esta nobre escolha conseguiu para Daniel e seus três amigos — que  fizeram a mesma escolha — o favor de Deus e do rei. Se não tivessem escolhido assim, mais adiante na Bíblia não teríamos as histórias de Daniel na cova dos leões e dos três companheiros de Daniel que foram lançados no forno de fogo ardente.

Jesus contou a parábola do pai que teve dois filhos. Um deles resolveu ficar com sua herança antes da morte do pai e viajar para um país distante (que representa entrar no pecado). Não foi uma escolha feliz. Depois de gastar tudo, caiu em si, reconheceu seu erro, e resolveu humilhar-se e voltar à casa de seu pai. Quão feliz não deve ter sido aquele encontro entre pai e filho! Leia Lucas 15:11-32.

O nosso Senhor Jesus foi preso e levado perante Pilatos. “Se soltares a este, não és amigo de César” (João 19:12). Pilatos estava numa situação difícil. De um lado via César (que representa o mundo) e do outro lado o Senhor da glória. Ele escolheu — e entregou Jesus aos soldados para ser crucificado. Leia João capítulo 19.

Escolher o mundo e seus prazeres leva a pessoa à ruína eterna (leia 2 Pedro 3:10-11).

Escolher fazer parte do povo de Deus ao invés de levar uma vida mundana, é uma boa escolha, uma escolha sábia. Quando escolhemos Cristo como nosso melhor Amigo, ele nos manda um Conselheiro — o Espírito Santo — que nos ajuda a tomar decisões nesta vida.

Prezado leitor, você já escolheu seguir a Jesus? Você o ama mais do que qualquer outra pessoa neste mundo? Já resolveu andar no caminho dele? Já confessou e abandonou seus pecados? Já entregou sua vida a ele? Você prefere o Livro dele acima de qualquer outro livro? É o Livro que você mais lê? Você tem um lugar especial em sua casa, ou qualquer outro lugar, onde medita e mantém comunhão com seu Senhor? Se você entregou sua vida ao Senhor e se ele entrou em seu coração, sua vida é das mais felizes. É um antegosto do céu. Se escolher bem todos os dias, estará no caminho que leva ao gozo eterno.

 

Um Lar Feliz-Uma Pequena Comunidade Em Si

Um lar tem seu início quando um homem e uma mulher se casam. O lar pode ser um lugar de harmonia e contentamento, como também pode ser um lugar cheio de ressentimentos e atritos. O seu lar é feliz e forte? Ele tem condições de sobreviver as tempestades da vida? A Bíblia nos dá a planta de um lindo lar, de construção sólida e ambiente agradável.

O lar tem uma função social importante. Ele é divinamente ordenado para atender às necessidades físicas do casal, estimular felicidade emocional e desenvolvimento espiritual. Sempre tem sido o plano de Deus que cada membro do lar contribua para a felicidade dos outros, para que as famílias vivam harmoniosamente.

Por que, então, existem tantos lares infelizes? Por que estão sendo destruídos pela desunião? Por que tanta separação? Tantos divórcios? É porque as pessoas têm fugido do plano de Deus. Em sua Palavra encontra-se todo o material necessário para um lar feliz. Quando este material é utilizado, o lar é um lugar de amor, confiança e benevolência mútua, cada membro visando ao bem-estar do outro. Tais lares resultam em vidas felizes e são uma influência positiva na comunidade e na nação. Você está seguindo o plano de Deus, o Grande Arquiteto? “Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam” (Salmo 127:1).

É durante a juventude que se lança o fundamento para os futuros lares. Uma vida pura perante Deus é um dos principais preparativos para o casamento. Uma vida pecaminosa no tempo de solteiro solapa o alicerce da estabilidade moral e põe em risco a felicidade do futuro lar. Uma vida de egoísmo, de viver de acordo com os desejos carnais, contamina a vida do jovem a ponto de ser dificílimo ter um casamento feliz depois. Os altos índices de divórcio são uma prova indiscutível deste fato. A solução está no arrependimento destes pecados, para poder receber uma vida nova em Cristo. Quando isto acontece, o passado não precisa mais perturbar. As bênçãos de Deus estarão sobre quem age assim.

A Bíblia manda que o casamento “seja no Senhor” (1 Coríntios 7:39). Isto quer dizer que ambos o homem e a mulher entregaram suas vidas e vontades ao Senhor. Deus precisa estar em primeiro lugar. Quando o homem ou a mulher, ou os dois, pensam apenas em si próprios, qual será a base para a sua felicidade?

Texto completo de: Um Lar Feliz-Uma Pequena Comunidade Em Si

Casar-se no Senhor não significa apenas que o homem e a mulher sejam cristãos, mas também quer dizer que o Senhor deseja ajudar na escolha. As paixões, atrações físicas e namoros constituem uma base péssima para o casamento. E quando isto acontece, é possível que o resultado seja um casamento marcado por frustrações e atritos. Quando confiamos no Senhor e permitimos que ele nos ajude a escolher o nosso cônjuge, teremos à nossa disposição a sua sabedoria divina, que não vê apenas o presente, mas o futuro também. É possível que ele escolha duas pessoas de gostos e temperamentos diferentes, ciente de que um complementará o outro, criando assim um equilíbrio entre os dois. “E serão os dois uma só carne” (Marcos 10:8).

O casamento é vitalício, ou seja, para a vida toda. Não é apenas um contrato legal que existe entre o homem e a mulher. Jesus foi bem claro quando disse: “Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem” (Mateus 19:6).

O lar é uma espécie de microcomunidade, e como acontece em toda organização, é preciso que cada integrante assuma sua responsabilidade. Na Bíblia, Deus nos dá uma constituição familiar, e quando seguida, traz ordem e felicidade ao lar. A maior responsabilidade é do marido, depois da esposa, e finalmente dos filhos (leia 1 Coríntios 11:3; Efésios 5:22-24). Todo princípio estabelecido por Deus é sagrado, e quando não obedecido, o transgressor sofrerá as consequências. Por outro lado, àqueles que obedecem, Deus concede a sua direção e graça.

No casamento o marido e a esposa assumem um compromisso que confere certas responsabilidades e obrigações a cada um. E para que o lar seja completo, cada um precisa exercer as suas habilidades naturais e cumprir a sua parte. Um dos dois precisa ser o cabeça do lar. Deus outorgou esta responsabilidade ao homem: “Pois o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo” (Efésios 5:23). Tal amor fica envolto num espírito de altruísmo. É um amor que faz com que o marido trate a sua esposa como a seu próprio corpo (leia Efésios 5:28). Um marido amoroso não encarará a sua esposa como sendo inferior a ele. Muito pelo contrário, confiará nela, procurará seus conselhos, e pelo amor que sente por ela, a receberá como seu igual.

“Semelhantemente, vós, mulheres, sede submissas a vossos próprios maridos” (1 Pedro 3:1). Quando a esposa respeita seu marido como o cabeça do lar, assim como o marido respeita a Cristo como seu cabeça, este lar será um refúgio repleto de paz e contentamento. Em Efésios 5:33 lemos: “E a mulher respeite a seu marido”. Rebeldia contra este princípio tem provocado muita infelicidade nos lares de hoje. Desviar-se deste ensinamento não apenas cria conflitos na vida familiar, mas cria um conflito espiritual na vida da esposa.

Pensamos em nossos filhos como sendo puros e inocentes. No entanto, todas as crianças nascem com uma natureza pecaminosa. E à medida que elas crescem, este egoísmo inerente torna-se cada vez mais evidente. Se os pais não conseguirem aplicar uma boa disciplina na criança, além de tornar a sua própria vida infeliz, tornará muitas outras vidas infelizes também.

A criança tem o dever de obedecer a seus pais. “Filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, pois isto é justo” (Efésios 6:1). Um exemplo perfeito da obediência é a vida de Jesus quando criança. “Então desceu com eles para Nazaré, e era-lhes sujeito” (Lucas 2:51). Quando o princípio da submissão é praticado no lar, como algo normal, os pais e os filhos serão mais felizes, e o ambiente do lar mais agradável.

Quando a ordem de Deus é mantida, os pais viverão para os filhos, os filhos para os pais, e todos para Deus. Tais lares serão um adorno na comunidade e uma contribuição positiva às nações.

Muitos jovens estão se envolvendo com seitas estranhas, drogas alucinógenas, modas e diversões. Estão caindo nas garras de uma sociedade altamente progressista que vem abandonando os valores espirituais e morais que outrora proporcionavam integridade e estabilidade à comunidade. A inquietação e descontentamento dos jovens podem ser atribuídos à ausência de lares felizes e seguros? Há alguma coisa que você pode fazer para melhorar esta situação? Você está ciente de que a felicidade de seu lar depende de você? Da sua lealdade a Deus?

Se quisermos construir lares fortes e felizes, é preciso ter a Jesus Cristo como o alicerce. As chuvas e tempestades da vida podem bater nesta casa, mas estando alicerçada em Cristo, não cairá. Jesus demonstrava um amor muito grande pelo lar. Por isso ele quer entrar em seu lar para que seja feliz. Ele nos dá direção, força e coragem, com as quais nossos lares irão brilhar como um farol num mundo cruel e tenebroso. Vamos deixá-lo entrar? Ele diz: “Eis que estou à porta, e bato” (Apocalipse 3:20). Para entrar no lar, ele bate primeiro na porta do coração. Sem um coração feliz, não pode haver um lar feliz – e sem paz no coração, não pode haver verdadeira paz no lar. Quando confiamos em Deus, podemos superar as irritações e frustrações do dia-a-dia. “Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti, porque ele confia em ti” (Isaías 26:3).

Numa família piedosa, todos oram juntos, implorando a ajuda de Deus em seus próprios corações, no lar e na comunidade. A oração une a família. É verdadeiro o ditado: “A família que ora junto permanece junta.”

Creia em Deus e aceite o seu plano para sua vida e para seu lar. Abra a porta de seu coração a Cristo. “Hoje se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações” (Hebreus 3:7, 8). O Senhor está esperando. Quer abençoar seu coração e seu lar. Busque-o com todo o seu coração e permaneça fiel. Algum dia ele abrirá a porta do lar celestial para você poder entrar, onde poderá viver em felicidade e paz perfeita para todo o sempre.