Um Lar Feliz-Uma Pequena Comunidade Em Si

Um lar tem seu início quando um homem e uma mulher se casam. O lar pode ser um lugar de harmonia e contentamento, como também pode ser um lugar cheio de ressentimentos e atritos. O seu lar é feliz e forte? Ele tem condições de sobreviver as tempestades da vida? A Bíblia nos dá a planta de um lindo lar, de construção sólida e ambiente agradável.

O lar tem uma função social importante. Ele é divinamente ordenado para atender às necessidades físicas do casal, estimular felicidade emocional e desenvolvimento espiritual. Sempre tem sido o plano de Deus que cada membro do lar contribua para a felicidade dos outros, para que as famílias vivam harmoniosamente.

Por que, então, existem tantos lares infelizes? Por que estão sendo destruídos pela desunião? Por que tanta separação? Tantos divórcios? É porque as pessoas têm fugido do plano de Deus. Em sua Palavra encontra-se todo o material necessário para um lar feliz. Quando este material é utilizado, o lar é um lugar de amor, confiança e benevolência mútua, cada membro visando ao bem-estar do outro. Tais lares resultam em vidas felizes e são uma influência positiva na comunidade e na nação. Você está seguindo o plano de Deus, o Grande Arquiteto? “Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam” (Salmo 127:1).

É durante a juventude que se lança o fundamento para os futuros lares. Uma vida pura perante Deus é um dos principais preparativos para o casamento. Uma vida pecaminosa no tempo de solteiro solapa o alicerce da estabilidade moral e põe em risco a felicidade do futuro lar. Uma vida de egoísmo, de viver de acordo com os desejos carnais, contamina a vida do jovem a ponto de ser dificílimo ter um casamento feliz depois. Os altos índices de divórcio são uma prova indiscutível deste fato. A solução está no arrependimento destes pecados, para poder receber uma vida nova em Cristo. Quando isto acontece, o passado não precisa mais perturbar. As bênçãos de Deus estarão sobre quem age assim.

A Bíblia manda que o casamento “seja no Senhor” (1 Coríntios 7:39). Isto quer dizer que ambos o homem e a mulher entregaram suas vidas e vontades ao Senhor. Deus precisa estar em primeiro lugar. Quando o homem ou a mulher, ou os dois, pensam apenas em si próprios, qual será a base para a sua felicidade?

Texto completo de: Um Lar Feliz-Uma Pequena Comunidade Em Si

Casar-se no Senhor não significa apenas que o homem e a mulher sejam cristãos, mas também quer dizer que o Senhor deseja ajudar na escolha. As paixões, atrações físicas e namoros constituem uma base péssima para o casamento. E quando isto acontece, é possível que o resultado seja um casamento marcado por frustrações e atritos. Quando confiamos no Senhor e permitimos que ele nos ajude a escolher o nosso cônjuge, teremos à nossa disposição a sua sabedoria divina, que não vê apenas o presente, mas o futuro também. É possível que ele escolha duas pessoas de gostos e temperamentos diferentes, ciente de que um complementará o outro, criando assim um equilíbrio entre os dois. “E serão os dois uma só carne” (Marcos 10:8).

O casamento é vitalício, ou seja, para a vida toda. Não é apenas um contrato legal que existe entre o homem e a mulher. Jesus foi bem claro quando disse: “Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem” (Mateus 19:6).

O lar é uma espécie de microcomunidade, e como acontece em toda organização, é preciso que cada integrante assuma sua responsabilidade. Na Bíblia, Deus nos dá uma constituição familiar, e quando seguida, traz ordem e felicidade ao lar. A maior responsabilidade é do marido, depois da esposa, e finalmente dos filhos (leia 1 Coríntios 11:3; Efésios 5:22-24). Todo princípio estabelecido por Deus é sagrado, e quando não obedecido, o transgressor sofrerá as consequências. Por outro lado, àqueles que obedecem, Deus concede a sua direção e graça.

No casamento o marido e a esposa assumem um compromisso que confere certas responsabilidades e obrigações a cada um. E para que o lar seja completo, cada um precisa exercer as suas habilidades naturais e cumprir a sua parte. Um dos dois precisa ser o cabeça do lar. Deus outorgou esta responsabilidade ao homem: “Pois o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo” (Efésios 5:23). Tal amor fica envolto num espírito de altruísmo. É um amor que faz com que o marido trate a sua esposa como a seu próprio corpo (leia Efésios 5:28). Um marido amoroso não encarará a sua esposa como sendo inferior a ele. Muito pelo contrário, confiará nela, procurará seus conselhos, e pelo amor que sente por ela, a receberá como seu igual.

“Semelhantemente, vós, mulheres, sede submissas a vossos próprios maridos” (1 Pedro 3:1). Quando a esposa respeita seu marido como o cabeça do lar, assim como o marido respeita a Cristo como seu cabeça, este lar será um refúgio repleto de paz e contentamento. Em Efésios 5:33 lemos: “E a mulher respeite a seu marido”. Rebeldia contra este princípio tem provocado muita infelicidade nos lares de hoje. Desviar-se deste ensinamento não apenas cria conflitos na vida familiar, mas cria um conflito espiritual na vida da esposa.

Pensamos em nossos filhos como sendo puros e inocentes. No entanto, todas as crianças nascem com uma natureza pecaminosa. E à medida que elas crescem, este egoísmo inerente torna-se cada vez mais evidente. Se os pais não conseguirem aplicar uma boa disciplina na criança, além de tornar a sua própria vida infeliz, tornará muitas outras vidas infelizes também.

A criança tem o dever de obedecer a seus pais. “Filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, pois isto é justo” (Efésios 6:1). Um exemplo perfeito da obediência é a vida de Jesus quando criança. “Então desceu com eles para Nazaré, e era-lhes sujeito” (Lucas 2:51). Quando o princípio da submissão é praticado no lar, como algo normal, os pais e os filhos serão mais felizes, e o ambiente do lar mais agradável.

Quando a ordem de Deus é mantida, os pais viverão para os filhos, os filhos para os pais, e todos para Deus. Tais lares serão um adorno na comunidade e uma contribuição positiva às nações.

Muitos jovens estão se envolvendo com seitas estranhas, drogas alucinógenas, modas e diversões. Estão caindo nas garras de uma sociedade altamente progressista que vem abandonando os valores espirituais e morais que outrora proporcionavam integridade e estabilidade à comunidade. A inquietação e descontentamento dos jovens podem ser atribuídos à ausência de lares felizes e seguros? Há alguma coisa que você pode fazer para melhorar esta situação? Você está ciente de que a felicidade de seu lar depende de você? Da sua lealdade a Deus?

Se quisermos construir lares fortes e felizes, é preciso ter a Jesus Cristo como o alicerce. As chuvas e tempestades da vida podem bater nesta casa, mas estando alicerçada em Cristo, não cairá. Jesus demonstrava um amor muito grande pelo lar. Por isso ele quer entrar em seu lar para que seja feliz. Ele nos dá direção, força e coragem, com as quais nossos lares irão brilhar como um farol num mundo cruel e tenebroso. Vamos deixá-lo entrar? Ele diz: “Eis que estou à porta, e bato” (Apocalipse 3:20). Para entrar no lar, ele bate primeiro na porta do coração. Sem um coração feliz, não pode haver um lar feliz – e sem paz no coração, não pode haver verdadeira paz no lar. Quando confiamos em Deus, podemos superar as irritações e frustrações do dia-a-dia. “Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti, porque ele confia em ti” (Isaías 26:3).

Numa família piedosa, todos oram juntos, implorando a ajuda de Deus em seus próprios corações, no lar e na comunidade. A oração une a família. É verdadeiro o ditado: “A família que ora junto permanece junta.”

Creia em Deus e aceite o seu plano para sua vida e para seu lar. Abra a porta de seu coração a Cristo. “Hoje se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações” (Hebreus 3:7, 8). O Senhor está esperando. Quer abençoar seu coração e seu lar. Busque-o com todo o seu coração e permaneça fiel. Algum dia ele abrirá a porta do lar celestial para você poder entrar, onde poderá viver em felicidade e paz perfeita para todo o sempre.

Contate-nos

Pedir Folhetos

Ensina-Nos a Orar

A oração é uma petição humilde que dirigimos a Deus o Pai em nome de Jesus. É através da oração que expressamos os nossos sentimentos ao amoroso Pai celestial. Quando oramos, o nosso espírito se comunica com Deus através das palavras que falamos ou através dos nossos pensamentos. Deus quer que falemos com ele. Podemos chegar a ele com a nossa gratidão, com as nossas petições e com as decepções que passamos na vida.

Algumas pessoas afirmam que na primeira vez que oraram se sentiram um pouco estranho, como se não estivessem falando com ninguém. É justamente isto que Satanás quer que sintamos, pois não quer que voltemos a orar. Mas a Bíblia nos dá plena certeza de que Deus nos ouve, não importa o lugar nem a hora, desde que oremos com coração sincero. “Esta é a confiança que temos nele, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve” (1 João 5:14).

Quando oramos estamos falando com Deus. Portanto, dirija suas palavras diretamente a ele. Seja franco e sincero ao contar-lhe seus desejos e necessidades. Se você se sentir confuso, fale com ele sobre isso. A Bíblia diz: “Da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas. Não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis” (Romanos 8:26). Quando você está frustrado e desanimado, fale com Deus. Quando está feliz e agradecido, também fale com Deus. É importante sermos honestos em nossas orações. Deus quer que falemos aquilo que realmente sentimos no fundo do coração.

Preste atenção ao que Deus tem a dizer. Ele fala conosco através de nossos pensamentos e impressões. Isso pode acontecer enquanto estamos orando. Até as próprias palavras que usamos quando oramos podem vir de Deus. Ele quer nos comunicar a sua vontade, o que pode ocorrer ainda enquanto estamos orando ou depois. Ele fala através de seu Espírito, através da Bíblia e através de seus servos.

Quando oramos precisamos nos isolar das distrações do mundo em nosso redor e nos concentrar no tempo que estamos passando em comunhão com Deus. É verdade que o importante não é o lugar nem a posição em que nos encontramos, mas sempre que possível devemos procurar um lugar sossegado. Ajoelhar-se e fechar os olhos são sinais de reverência que criam um ambiente mais propício para a meditação. Toda a nossa atenção precisa ser dirigida a Deus (leia Mateus 6:6).

Texto completo de: Ensina-Nos a Orar

Há quem diga: “Não sei como orar. Não sei como me expressar ou quais as palavras que devo usar.” Possivelmente isto ocorre porque a pessoa pensa que precisa usar um vocabulário diferente para que Deus preste atenção. Podemos achar que temos que fazer uma oração comprida ou usar uma linguagem elegante para ele nos ouvir. Na realidade, muitas das orações que encontramos na Bíblia que foram atendidas por Deus, são curtas e simples. Temos o exemplo de um pecador que simplesmente orou: “Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!” (Lucas 18:13). Outro pecador, quebrantado e contrito, orou: “Senhor, lembra-te de mim quando entrares no teu reino” (Lucas 23:42). A Bíblia contém as orações de homens de culturas diferentes. Cada uma é diferente das outras, o que mostra que o importante não são as palavras que usamos nas orações. 

Para a nossa oração dar resultado, temos que chegar a Deus com espírito humilde. Em 2 Crônicas 7:14 lemos: “Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar e buscar a minha face, e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra”. Para conhecermos o Senhor cada vez mais, temos que seguir as instruções que ele nos dá – especialmente quando ele pede que nos afastemos do pecado.

Quando nós nos comunicamos diariamente com o Senhor, ele nos dá visão, estabiliza a nossa vida e nos concede aquilo que pedimos. “Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito” (João 15:7).

Ore em nome de Jesus. Ele disse: “E farei tudo o que pedirdes em meu nome” (João 14:13). Nós não temos mérito próprio. A única maneira de chegar a Deus é através de seu Filho Jesus Cristo.

Ore com frequência. Preste atenção quando ele fala. Seja obediente à direção que ele traz a seus pensamentos. “Por isso vos digo: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á” (Lucas 11:9).

Contate-nos

Pedir Folhetos

A Mais Linda História

A biblia

Há muitos anos este mundo não existia.

Não havia peixes.

   Não havia estrelas no céu.

Texto completo de: A Mais Linda História

     Não havia mares.

        Não havia belas flores.

           Não havia nada. Estava tudo escuro.

Mas Deus já existia. Sim, o mesmo Deus que hoje ouve as nossas orações.

Deus tinha um plano maravilhoso. Em sua mente, ele via um lindo mundo. Enquanto pensava, foi criando aquilo que via. Fez tudo do nada. Sempre que Deus queria criar alguma coisa, simplesmente dizia, “Faça-se isto ou aquilo”, e no mesmo instante era isto que acontecia!

Ele criou a luz; ele criou os rios e os mares, as plantas que cobrem a terra, os animais, os pássaros e as árvores.

A última coisa que ele criou foi o homem — e depois a mulher que seria a sua esposa. Seus nomes eram Adão e Eva.

Deus amava muito a Adão e Eva. Todos os dias, à tardezinha, ele lhes fazia uma visita no belo jardim onde moravam.

Eles cuidavam deste jardim onde tudo era perfeito. Deus lhes disse que podiam comer das frutas de todas as árvores — menos uma — que tinha a fruta proibida.

Adão e Eva eram muito felizes até um dia quando Satanás, o inimigo de Deus, veio para lhes tentar. Contou uma mentira e Adão e Eva acreditaram no que ele disse. Resolveram experimentar a fruta proibida. Isto era pecado — o primeiro pecado! Pela primeira vez em suas vidas, sentiram vergonha e tristeza.

Agora não podiam conversar com Deus como antes. Deste dia em diante iriam sofrer doenças e ter problemas. E no fim teriam que morrer. Adão e Eva ficaram muito tristes por terem pecado.

Mas Deus não se esqueceu deles. Prometeu ajudar: “Quando chegar a hora certa, vou mandar meu Filho Jesus ao mundo. Ele virá de seu lar no céu. Ele vai perdoar todos os seus pecados. Mas para fazer isto, terá que sofrer e morrer por vocês”. Como Adão e Eva ficaram felizes ao saber que Deus mandaria o Salvador para perdoar seus pecados!

Adão e Eva tiveram filhos e netos. Sua família foi só crescendo, até haver muita gente no mundo.

Deus queria que todos fossem felizes. Ele explicou para o povo como viver. Estas são algumas das regras que ele deu às pessoas:

   1) Não terás outros deuses diante de mim.

   2) Não farás para ti imagem de escultura.

   3) Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão.

   4) Lembra-te do dia do sábado, para o santificar.

   5) Honra a teu pai e a tua mãe.

   6) Não matarás.

   7) Não adulterarás.

   8) Não furtarás.

   9) Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.

10) Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu escravo, nem a sua escrava, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo.

Podemos ler todas estas regras na Bíblia. Se obedecermos ao que está escrito na Bíblia, seremos felizes.

Satanás não quer que obedeçamos ao que está escrito na Bíblia. Às vezes, quando não tem ninguém por perto, ele nos manda roubar alguma coisa. Mas Deus sabe se roubamos. Ele vê tudo.

É possível que Satanás peça que contemos uma mentira. Ele nos diz que ninguém vai ficar sabendo. Mas Deus sabe se mentimos. Ele ouve tudo que falamos.

Quando fazemos coisas erradas assim, alguma coisa nos dói por dentro. Deus nos ama e quer nos ajudar a ser bons. É por isso que mandou Jesus a este mundo. Deus não se esqueceu da promessa que fez no início, pois muitos anos depois ele mandou seu Filho Jesus a este mundo. Ele veio como um nenê, depois cresceu e virou Homem.

Ele fez muitas coisas maravilhosas. Curava os doentes. Fazia com que os cegos enxergassem. Ele abençoava as crianças.

Jesus nunca fez nada de errado. Ele falava ao povo sobre Deus e como sempre obedecer-lhe.

Um dia os inimigos de Jesus o cravaram numa cruz, onde morreu.

Ele sofreu e morreu pelos pecados de todo o mundo, mesmo pelos pecados daqueles homens maus que o cravaram na cruz.

Depois de morto, Jesus foi sepultado. Mas aí aconteceu uma coisa muito bonita. Ele ficou na sepultura pouco tempo e depois tornou a viver!

Depois de uns poucos dias, Deus levou Jesus para o céu numa nuvem. Um anjo apareceu e disse a seus amigos que estavam presentes naquela hora, que algum dia ele voltaria novamente.

Jesus morreu pelos nossos pecados também. Quer que sintamos tristeza pelos pecados e os confessemos. Ele está esperando para nos perdoar.

Podemos orar a Deus na hora que quisermos. Ele ouve todas as nossas palavras e conhece todos os nossos pensamentos. Quando ele perdoa nossos pecados, isto nos deixa muito felizes. Aí procuramos fazer o que é certo. Procuramos ser bondosos.

Se escolhermos desobedecer a Deus e seguir Satanás, que é o diabo, este inimigo vai nos arrastar até o inferno quando morrermos. O inferno é um lugar de fogo que nunca se apaga.

Mas se amarmos e obedecermos a Jesus, ele nos levará para o céu quando ele voltar. O céu é o lindo lugar onde Deus e seu Filho Jesus moram. É um lugar de amor e luz. No céu seremos felizes para todo o sempre.

Contate-nos

Pedir Folhetos